APRENDIZADO

APRENDENDO OUTRO IDIOMA (1/3) – ITALIANO

>>> (2 anos e 3 meses) <<< RESUMO DE DEZEMBRO: Desmame gentil completo. Dylana segue cada vez mais independente ao ponto de já querer inverter os papéis. Exemplo: quer colocar comida, remédio e água na minha boca, prender meu cabelo, pegar meu papel higiênico, me ajudar no banho…

O primeiro contato de Dylana com outro idioma foi logo bebezinha. A dinda Janine conversava e cantava em italiano sempre que estava aqui. A medida que foi crescendo e desenvolvendo a fala, Jan começou a ensinar algumas palavras.

O engraçado é que a família toda começou aprender junto. Algumas palavras que Dy aprendia rápido, nós aprendemos de tanto ela falar e outras nós aprendemos para ensinar quando a dinda t bol não estava junto.


O fato mais engraçado foi quando aprendeu que pia em italiano é “lavandino“. Era tão bonitinho ela falando! Sempre que acabava de comer eu perguntava: vai colocar o prato aonde?

Ela: pia.
Eu: e em italiano?

Ela: lavandino.


Não demorou muito e ela excluiu a palavra pia do vocabulário. Era “lavandino” o tempo todo!

Então comecei a inverter a situação e perguntar: vai colocar o prato aonde?

Ela: lavandino.

Eu: e em português?

Ela: pia.


Até que ela achou a solução para parar com tanta pergunta. kkkkkk

Assim que acabava de comer já falava: pia lavandino.

 

DICA: Incentive ao máximo desde pequeno o contato com outros idiomas! Mesmo que você não fale, como é o meu caso, hoje em dia pela internet tem muitos recursos para aprender. Eles têm muito mais facilidade de aprender quando pequenos.

 

Um tempo depois disso, comecei a ensinar algumas palavrinhas em inglês. Infelizmente ainda não sei quase nada. (No próximo post vou falar sobre o inglês!)

 

Certo dia, estávamos no quarto e ela saiu com seu Porta Lanchinho na mão falando que iria colocar no “lavandino“. No meio do caminho ela voltou, parou na porta e perguntou: como é em inglês, mamãe?

 

Achei incrível!!! Ela com menos de 2 anos já tinha entendido que existem várias formas de falar sobre cada coisa. Falei que não sabia, mas que iria pesquisar. Botei o Google tradutor para falar. Kkkk

 

E Dylana está tão envolvida nisso de falar outro idioma, que quando ela não sabe em outra língua ela inventa. Por exemplo: vassoura ela agora está falando “vassore”, avião virou “avione”…

E quando a palavra termina com “e” ela coloca acento. Por exemplo: panetone virou “panetoné“, leite virou “leité”…

Na verdade, até quando ela sabe está inventando! Como é o caso de calcinha, que em italiano ela sabe que é “mutanda” e agora está falando “calcine”.
 

Uma coisa que Dy acabou aprendendo naturalmente, primeiro em italiano do que em português, foi diferenciar o masculino do feminino. Ela aprendeu que “sentada” em italiano é “seduta” e quando aprende quer falar mil vezes a palavra para não esquecer.

Quando o pai estava sentado ela dizia “seduta”. Falávamos que era “seduto” e também dávamos exemplos de outras pessoas no masculino para ela identificar a diferença.

Agradecimento especial a Janine (prima/comadre) por todo o apoio e incentivo não só na educação de Dylana, mas em todos os momentos necessários! Gratidão!

Gostou? Compartilhe com seus amigos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.